AMBEV: Empresa divulga o resultado do 4 trim 2016 – acesse o relatório e comentários da empresa

Receita Líquida (ROL): Nossa receita líquida ficou estável no trimestre (+0,4%), uma vez que o sólido crescimento em CAC (+8,9%) e LAS (+19,3%) foi impactado por queda no Brasil (-9,7%) e no Canadá (-0,5%). Nosso volume caiu 5,6% enquanto a receita líquida por hectolitro (ROL/hl) aumentou 6,3%. Em 2016, a nossa receita líquida cresceu 1,9%, com a queda no Brasil (-5,2%) mais do que compensada pelo sólido desempenho em (i) CAC (+14,0%), dado o crescimento contínuo de nosso negócio na região; (ii) LAS (+15,8%), devido à forte performance da ROL/hl parcialmente compensada pela queda de volume na Argentina; e (iii) Canadá (+0,7%). No consolidado, nosso volume caiu 5,8% explicado principalmente por Brasil e Argentina, onde o cenário macroeconômico desafiador continuou a pressionar os consumidores, enquanto a ROL/hl cresceu sólidos 8,3% devido às nossas iniciativas de gestão da receita.

Custo dos produtos vendidos (CPV):Nosso CPV aumentou 6,8% no trimestre enquanto, em uma base por hectolitro (CPV/hl), o crescimento foi de 13,1%. No ano, o nosso CPV e CPV/hl cresceram, respectivamente, 6,5% e 13,1%, impulsionados principalmente pelo Brasil. Despesas com vendas, gerais e administrativas (SG&A): O SG&A (excluindo depreciação e amortização) aumentou 7,5% no trimestre e 7,6% no ano, explicados principalmente pelo aumento das despesas com vendas e marketing, uma vez que continuamos a investir em nossas marcas, e parcialmente compensados por ganhos de eficiência nas despesas administrativas em todas as nossas operações.

EBITDA, Margem Bruta e Margem EBITDA: O EBITDA ajustado atingiu R$ 6.015 milhões (-12,1%) no trimestre, com compressões da margem bruta e da margem EBITDA de 210 pontos-base e 650 pontos-base, respectivamente. No ano, nosso EBITDA ajustado foi de R$ 19.483 milhões (-6,9%), com contração da margem bruta de 150 pontos-base e contração da margem EBITDA de 410 pontos-base, impulsionada por Brasil (-820 pontos-base) e Canadá (-50 pontos-base), parcialmente compensados por CAC (+220 pontos-base) e LAS (+180 pontos-base).

Lucro líquido, Lucro líquido ajustado e LPA: Nosso lucro líquido atingiu R$ 4.834 milhões no trimestre, 13,5% acima do 4T15, enquanto nosso lucro líquido ajustado caiu 15,9% para R$ 3.656 milhões. No ano, o nosso lucro líquido cresceu 1,6% para R$ 13.083 milhões, enquanto ajustado pelos itens não recorrentes, o lucro líquido caiu 9,7% para R$ 11.949 milhões, uma vez que a redução de EBITDA e maiores despesas financeiras, devido ao custo de carrego de nossos hedges e despesa adicional sem efeito caixa referente à opção de venda associada ao nosso investimento na República Dominicana, foram parcialmente compensadas por uma alíquota efetiva de imposto de renda mais baixa. O lucro por ação (LPA) foi R$ 0,80 e o lucro líquido por ação ajustado foi R$ 0,75 no ano de 2016.

Fluxo de caixa operacional e CAPEX: Nossa geração de caixa das atividades operacionais atingiu R$ 7.920 milhões no trimestre, enquanto R$ 17.702 milhões no ano de 2016. Os investimentos em CAPEX totalizaram R$ 4.133 milhões, com uma redução de 35% destes investimentos no Brasil em relação ao ano anterior (R$ 1.969 milhões), em linha com a nossa projeção.

Pay out e disciplina financeira: Durante 2016, retornamos para nossos acionistas cerca de R$ 10.046 milhões em dividendos e juros sobre o capital próprio. Em 31 de dezembro de 2016, nossa posição líquida de caixa era de R$ 2.763 milhões. Este valor não inclui o pagamento de dividendos de R$ 0,07 por ação (aproximadamente R$ 1,1 bilhão) anunciado em 22 de dezembro de 2016, realizado a partir de 23 de fevereiro de 2017.

 

ABEV3_ER_4T16_pt (1)

Leia mais

Mais lidas

Últimos conteúdos